Bistrô

Quando apoiar uma causa entra em turbulência com o branding

19 Dez 2011

Não sei se você é dos que tem medo de voar. Eu não, a não ser que algo externo me lembre, “ei, você pode morrer aqui”, costumo adorar sentar em uma cadeira de avião.

Pois dia desses peguei um pequeno avião da TRIP para fazer o voo São José dos Campos – Rio. O tamanho realmente diminuto do avião e as duas turboélice foram um post-it para a minha lembrança. Ainda assim, meu habitual bom humor para voar continuava ali presente, até a aeromoça terminar de ler as instruções de segurança.

Qual não foi a minha surpresa – e dos outros 15 ou 20 passageiros, e olha que o avião estava lotado – quando ela falou, logo depois do apertar os cintos, que a TRIP Linhas Aéreas apoia a campanha do Mistério da Saúde de doação de órgãos. “Seja você também um doador, avise à sua família que você quer doar seus órgãos” ou frase que o valha, foi o que levantou voo comigo e meus pensamentos naquele micro-avião.

A cara de todos ao meu redor variava entre o desconforto e o espanto. Quem quer ser lembrando da sua finitude logo antes de decolar?

A escolha de uma bandeira – seja ela social, educacional, de preservação do meio-ambiente ou cultural  – não pode ser descolada dos objetivos do negócio. Pelo contrário, a ideia é sempre somar à construção da marca,  escolhendo causas que tenham afinidade com o DNA da empresa.

Afinal, tudo comunica. Especialmente o que a aeromoça diz logo antes da decolagem.

por:

Uma resposta para “Quando apoiar uma causa entra em turbulência com o branding”

  1. rodrigo disse:

    gostei muito de toda apresentação de vcs. Parabéns pela explanação das idéias…super sedutor e criativo!!!!!!!

Deixe uma resposta