Bistrô

Vamos pensar uma moda e um jeito de comprar com mais testosterona?

11 Jul 2011

Por conta de um job estou pesquisando comportamento de compra masculino em lojas de roupas. Muitas pesquisas evidências, números,  um pulinho no shopping Leblon pra brincar de observação e um monte de coisa me ocorre.

Homens e mulheres são diferentes, sei que é óbvio mas precisava dessa frase aqui abrindo o parágrafo. Pra gente é quase lúdico comprar qualquer coisa, o diálogo batido com a vendedora nos soa aconchegante, até porque uma mulher contar a vida pra outra minutos depois de conhecer,  é mais usual que se pensa. Experimentar, trocar, ficar em dúvida entre as cores, perguntar mil vezes se a roupa não engorda, mudar de cabine, de espelho, de luz e chamar uma amiga para opinar são parte da experiência.

Mas, será que a experiência de ponto de venda também serve para os homens? Li um monte de coisa interessante de um lado mas nas lojas percebi que se replica o jeito de fazer que não acho que é o mais acertado não, mesmo sem ser profunda conhecedora de varejo.

Homem notadamente está mais vaidoso, falam os números de venda de cosméticos, o IBOPE, o LatinPanel, e o sucesso do desodorante Dove masculino. Nunca pensei em homem curtindo ¼ de creme hidratante nas axilas, muito menos o latino. Pesquisas de comportamento, inclusive MTV, mostram que vaidade é uma palavra que o jovem chama de sua, claro que refletindo uma tendência da nossa sociedade, mas que impacta sonhos de consumo e intenção de compra por exemplo de cosméticos, roupas, cirurgia plástica e perfumes.

Isso acontece porque a boa aparência vem sendo associada a sucesso profissional e perspectivas, mas também porque a mulher mudou e não aceita com tanta facilidade um barrigudinho desleixado só pra ter um homem pra chamar de seu.

Aliás, eles andam mais independentes. Números de shoppings e supermercados pelo Brasil afora apontam  crescimento de homens fazendo compras  desacompanhados, na hora das verduras eles levam lista, mas no vestuário muitos já escolhem sozinhos. Provavelmente com medo (isso não está nas pesquisas, mas tenho certeza que to certa!), mas estão lá, tomando decisões.

Mas homem é homem, caçador lá nos primórdios das aldeias. Eles são notadamente mais racionais, rápidos, direto ao ponto, sem  muita conversa, experimentação, é mais no sim ou não, evitam DR até com os vendedores. Pelo menos em roupas. Da mesma maneira que uma mulher não olha um carro pelo motor, um homem não experimenta várias vezes cinco modelos diferentes de jeans.

No fim das contas, fiquei pensando se as fórmulas tanto de posicionamento de marca quanto lógica do ponto de venda deveriam continuar repetindo antigos modelos. Me pareceu que é o que vem acontecendo, algumas marcas mais e outras menos, e sem querer encerrar o assunto, apenas na missão de levantar a bola, intuo que não funciona não. Vamos pensar uma moda e um jeito de comprar com mais testosterona?

 

por:

4 respostas para “Vamos pensar uma moda e um jeito de comprar com mais testosterona?”

  1. Bruno Sousa disse:

    Oi Márcia,
    tudo bem contigo?
    Talvez a testosterona seja um inibidor de consumo, tanto que algumas campanhas “injetam” um toque de sensibilidade no mundo masculino.
    http://www.youtube.com/watch?v=eTOFLJSAsUU

    Abraço,
    Bruno Sousa.

  2. Como consumidor masculino, apoio a inquietação. Cada vez mais tenho menos paciência pra comprar nessas lojas. Não sou metrossexual e ainda faço parte da modelagem antiga de consumo…tenho vontade de ir comprar no Carrefour…hahaha…essas lojas masculinas me irritam profundamente!

    Abs!

  3. Carolina Crespo disse:

    Sensacional… Adorei o post!

  4. Gabriel Ponce disse:

    Muito interessante…
    Se servir pra dados de pesquisa (hehe), particularmente, não há porque ter medo de escolher a roupa sozinho. Basta olhar o catálogo da coleção e ver o que acha mais legal. Simples e rápido. Homem tem medo é de outra coisa: entrar com a mulher na loja…

    Abs!

Deixe uma resposta para Gabriel Ponce