Bistrô

A força dos números

13 Mai 2011

Mais um post da série “BISTRÔ PLANNING CONVIDA”, com Carlos Eduardo Stefano. Amigo, ex-aluno do P4B e planner da Tecnopop. O Cadu chegou, pediu um Bourgogne e, na segunda taça, já tinha produzido uma série reflexão deliciosas.

Nós, planejadores, estamos sempre cercados de pesquisas e indicadores que norteiam as estratégias de comunicação. Porém, devemos ficar muito atentos a esses dados, pois às vezes, tudo parece certo “como 2 e 2 são 5”.

Nesta semana, um dos temas mais comentados nas redes sociais foi a decisão do governo de São Paulo em retirar do projeto uma estação de metrô do tradicional bairro de Higienópolis, baseado em uma reclamação de pouco mais de 3.000 moradores da região.

O argumento citado por uma das signatárias é de que a presença do metrô no bairro traria para as ruas uma “gente diferenciada”, um discreto eufemismo para mendigos, drogados, trabalhadores e afins.

Imediatamente, o assunto foi parar no Twitter e a hastag #gentediferenciada e o termo Higienópolis alcançaram os trending topics, inclusive figurando no ranking mundial do microblog.

E no Facebook surgiu o movimento “Churrascão da Gente Diferenciada”, propondo um evento popular no bairro, com muito som alto, cerveja gelada e pagode. Até agora, mais de 30.000 usuários confirmaram presença, ou seja, aderiram a esta causa.

Acredito que o governo paulista irá seguir a “fundamentação da pesquisa” e seguir seu planejamento conforme o documento assinado pelos moradores do bairro. Mas se eles pesquisassem um pouquinho mais, iriam ver que ao redor deste tema, existe muito mais gente engajada e com pensamento bem diferente do que os indicadores oficiais.

Fica a dica!

Abs


por:

Deixe uma resposta