Bistrô

Haile Gerbselassie bebia Johnnie Walker?

17 Mar 2011

Quando vi os 2 novos comerciais do Johnnie Walker na TV fechada (abaixo), imediatamente me lembrei da campanha da Devassa com a Sandy, na qual o mundo ficou tentando entender de onde vinha, pra onde ia, o que a marca estava pretendendo.

Inicialmente fiquei sensibilizada e inspirada com os NOVOS GIGANTES compartilhando sua jornada, sua história. A música de fundo à lá U2 e um mood aspiracional, quase fantástico. Um triatleta que fica paraplégico e um etíope que corria 20 km todos os dias pra chegar à escola. Ambos se tornaram gigantes e nunca desistiram de seus sonhos. Ok, roteiro perfeito. Parecia caminhar bem, até que o locutor finaliza:

Comercial Haile Gebrselassie: “Existe uma grande força dentro de você, até onde ela vai te levar? Keep walking. Johnnie Walker”.

Comercial Marc Herremans: “Quando a sua realidade muda, seus sonhos não precisam mudar. Keep walking. Johnnie Walker”.

Juro, me deu um frio na espinha! Com que autoridade essa marca divulga isso? Só porque tem um slogan bonitinho: Keeping walking? Ok, sendo boazinha, até que existe alguma relação do slogan com a inerente força do “sempre seguir a diante” que rege os grandes atletas. Mas um uísque patrocinando esse tipo de mensagem… N-O-T. Se fosse outra marca assinando, campanha digna de Cannes! Mas são muitas associações negativas que estes comerciais me remeteram: paraplégico + bebida, pobreza + marcas milionárias etc etc etc.

Pergunte ao Haile ou ao Marc se eles tomavam uma dosezinha antes do treino… Fail, Johnnie! Eu não curti.

 

 

por:

3 respostas para “Haile Gerbselassie bebia Johnnie Walker?”

  1. Eduardo Silva disse:

    Tive exatamente a mesma impressão vendo o filme. É emocionante, forte, bonito, você se mexe na cadeira. Quando chega a hora da assinatura, alguma coisa não cola, fica o desconforto…ué, um atleta em cadeira de rodas bebendo whisky?

  2. Carol disse:

    Pois eh Gabi, não convence nem encaixa..

  3. roberta portella disse:

    Anuncio “contemporaneo”…que nao necessariamente vale pela estoria mas o que fica dela.

    Iaginem uma pedra caindo em um rio..
    O que importa nao eh o fato da pedra cair no rio mas os varios aneis que esse fato revela na superficie.

Deixe uma resposta